fbpx

Ouça a Playlist: Macumba Popular Brasileira

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Os Tincoãs. Foto: Divulgação

É impossível falar de música no Brasil sem considerar a influência das religiões de matrizes africanas e ameríndias na sua formação. Da estrutura rítmica às temáticas, a música nascida nos terreiros dá forma à música brasileira no geral de uma maneira muito ampla, desde da música da rua e da tradição acadêmica até à do mercado fonográfico.

Apesar de um dos mais importantes frutos dos cultos dessa matriz na música urbana ser o samba, o “herdeiro dos batuques do século XVIII e XIX”, as influências das tradições de religiões afro-brasileiras foram, com o passar do tempo, se diluindo e permeando os mais diversos gêneros da música popular brasileira, aparecendo na MPB, no indie, no funk, no rap, entre outros.

Banden Powell e Vinícius de Moraes, que gravaram o disco Os Afro-sambas, de 1966

Quem já ouviu algum disco de Caetano Veloso, Maria Bethânia, Jorge Ben, Os Tincoãs, Gilberto Gil, Baden Powell e até de artistas mais recentes como Metá Metá, MC Tha e Luiza Lian, por exemplo, já deve ter se deparado, muitas vezes sem saber, com ritmos como ijexá e aguerê. Iansã, Iemanjá, Oxum, Exu e outros orixás, também fazem parte do imaginário do cancioneiro nacional desde sempre.

Em 2019, a compositora, cantora e percussionista Alessandra Leão lançou seu quinto disco, Macumbas e Catimbós, no qual explora mais diretamente temas tradicionais da Jurema, Candomblé e Umbanda. Indicado ao Grammy Latino, o álbum tem como formação instrumental voz e um trio de ilús (tambores usados nos terreiros de Pernambuco).

“Essas religiões de matriz africana e indígena têm uma relação bastante singular com a música, porque nelas a música nunca tem um papel secundário nos rituais e celebrações. É a música que conduz e sustenta a maior parte dos trabalhos, sendo fundamental para o transe, para a conexão e comunicação com o sagrado”, explica Alessandra no texto de divulgação sobre o disco. “Para além dos rituais, a ‘música de terreiro’ é de suma importância na formação cultural do Brasil, tanto quando se apresenta de maneira mais próxima à realizada nos terreiros, quanto quando influencia outros gêneros musicais, seja por meio dos ritmos ou de caminhos melódicos e poéticos.”

Montamos uma playlist especial só com músicas com influenciadas direta e indiretamente pelos ritmos dos terreiros. Tem Metá Metá, Maria Bethânia, Luiza Lian, Serena Assumpção e mais.

Ouça no Spotify, Deezer ou YouTube Music.

#NosEncontramosNaMúsica